MENU

 Revisão >> Revisão das principais matérias do Vestibular
Revisão de Literatura
 
A Produção Literária no Brasil

 

A Produção Literária no Brasil - Parte I

Principais autores e Obras 

QUINHENTISMO 
Literatura informativa de origem ibérica 
- Ambrósio Fernandes Brandão - Diálogo das grandezas do Brasil 
- Gabriel Soares de Sousa (1540?-1591) - Tratado descritivo do Brasil 
- Pero Lopes e Sousa - Diário de navegação 
- Pero de Magalhães Gândavo - Tratado da Terra do Brasil, História da Província de Santa Cruz a que vulgarmente chamamos Brasil 
- Frei Vicente de Salvador(1564-1639) - História da Custódia do Brasil 
Literatura informativa de autores não-ibéricos 
- André de Thevet - As singularidades da França Antártica 
- Antonil (Giovanni Antonio Andreoni, 1650-1716?) - Cultura e opulência do Brasil 
- Hans Staden - Meu cativeiro entre os selvagens do Brasil 
- Jean de Lery - História de uma viagem feita à terra do Brasil 
Literatura dos Catequistas 
- Fernão Cardim - Tratado da Terra e da gente do Brasil 
- José de Anchieta (1534-1597) - Cartas, informações, fragmentos históricos e sermões: De gentis Mendis de Saa; De Beata Virgine dei Matre Maria; Arte da gramática da lingua mais usada na costa do Brasil; e os autos: Auto da pregação universal; Na festa de São Lourenço; Na visitação de Santa Isabel 
- Manuel da Nóbrega - Cartas do Brasil; Diálogo sobre a conversão do gentio 

BARROCO 
- Bento Teixeira (1561-1600) - Prosopopéia 
- Gregório de Matos Guerra (1623-1696) - Poesia sacra; Poesia lírica; Poesia satírica (2 volumes); Últimas 
- Manuel Botelho de Oliveira (1636-1711) - Música do Parnaso 
- Frei Manuel de Santa Maria Itaparica (1704-?) - Descrição da Cidade da Ilha de Itaparica; Estáquidos 
- Padre Antônio Vieira (1608-1697) - Obra composta de sermões (15 volumes), cartas e profecias (as principais: Sermão pelo bom sucesso das almas de Portugal contra as de Holanda; Sermão da sexagésima; Sermão da primeira dominga da Quaresma; Sermão de Santo Antônio aos peixes; e as profecias: Histórias do futuro e Clavis prophetarum 

ARCADISMO 
- Alvarenga Peixoto (1748-1793) - Enéias no Lácio e obra poética esparsa 
- Basílio da Gama (1740-1795) - O Uraguai 
- Cláudio Manuel da Costa (1729-1789) - Obras; Vila Rica; Fábula do Ribeirão do Carmo 
- Santa Rita Durão (1722-1784) - Caramuru 
- Silva Alvarenga (1749-1814) - Obras poéticas; Glaura; O desertor 
- Sousa Caldas (1762-1814) - Obra esparsa (poemas, traduções, cartas) 
- Tomás Antônio Gonzaga (1744-1810) - Marília de Dirceu; Cartas Chilenas; Tratado de Direito Natural 

ROMANTISMO - (Poesia) 
Primeira geração 
- Gonçalves Dias - (1823-1864) - Primeiros cantos; Segundos cantos; Terceiros Cantos; Os timbiras; Sextilhas de Frei Antão (Poesia); Leonor de Mendonça; Beatriz Cenci; Patkull (teatro); Brasil e Oceania; Dicionário de lingua tupi 
- Gonçalves de Magalhães - (1811-1882) - Poesias; Suspiros poéticos e saudades; A confederação dos Tamoios (poesia) Amância (novela); Antônio José ou O poeta e a inquisição; Olgiato (teatro) 
- Manuel de Araújo Porto Alegre - (1806-1879) - Brasilianas; Colombo 
Segunda geração
- Álvares de Azevedo - (1831-1852) - Lira dos vinte anos; O conde Lopo (poesia); Noite na Taverna; O livro de Fra Gondicario (prosa); Macário (teato) 
- Cassimiro de Abreu - (1839-1860) - As primaveras (poesia); Camões e o Jaú (teatro) 
- Fagundes Varela (1841-1875) - Vozes da América; Estandarte Auriverde; Cantos do Ermo e da Cidade; Cantos religiosos; Diário de Lázaro; Anchieta ou O evangelho nas selvas 
- Junqueira Freire - (1832-1855) - Inspirações do claustro 
Terceira geração
- Castro Alves (1847-1871) - Espumas flutuantes; Os escravos; A cachoeira de Paulo Afonso; Hinos do Equador (poesia); Gonzaga ou A revolução de Minas (teatro) 
- Sousândrade (Joaquim de Sousa Andrade, 1833-1902) - Obras poéticas; Harpa selvagem; Guesa errante 
- Tobias Barreto (1837-1889) - Dias e noites 

ROMANTISMO (Prosa) 
- Bernardo Guimarães - (1825-1884) - O ermitão de Muquém; Lendas e romances; O garimpeiro; O seminarista; O índio Afonso; A escrava Isaura; O pão de ouro; Rosaura, a enjeitada; Jupira (romances); Cantos da solidão (poesia) 
- Franklin Távora - (1842-1888) - A trindade Maldita; Os índios do Jaguaribe; A casa de palha; Um casamento no arrabalde; O cabeleira; O matuto; Lourenço. 
- Joaquim Manuel de Macedo - (1820-1882) - A moreninha; O moço loiro; Os dois amores; Rosa, Vicentina; A carteira do meu tio; A luneta mágica; As vítimas algozes, Nina; A Namoradeira; Mulheres de matilha; Um noivo e duas noivas. 
- José de Alencar - (1829-1877) - Cinco minutos; A viuvinha; Sonhos D’ouro; Encarnação; Senhora; Diva; Lucila; A pata da gazela (romances urbanos); As minas de prata; A guerra dos mascates; Alfarrábios (romances históricos); O sertanejo; O gaúcho (romances regionalistas); Til; O tronco do Ipê (romances rurais); Iracema; O guarani; Ubirajara (romances indianistas); A noite de São João, O crédito; Demônio familiar; Verso e reverso; As asas de um anjo; Mãe; O jesuíta (teatro) - Manuel Antônio de Almeida - (1831-1861) - Memórias de um sargento de milícias 
- Visconde de Taunay (Alfredo D’Escragnolle Taunay - 1843-1899) - Inocência; A retirada da Laguna; Lágrimas do coração; Histórias brasileiras - Teixeira de Souza (1812-1861) - Os filhos do pescador; Tardes de um pintor 

ROMANTISMO (Teatro) 
- Martins Pena (1815-1848) - O juiz de paz na roça; O cinto acusador; A família e a festa da roça; Os dois ou O inglês maquinista; Judas em Sábado de Aleluia; O diletante; O noviço; As casadas solteiras; O cigano; Os ciúmes de um pedestre; O usuário; A barriga do meu tio; As desgraças de uma criança 
- Paulo Eiró (1836-1871) - Sangue limpo 

REALISMO 
- Artur Azevedo (1855-1908) - Amor por anexins; A pelo do lobo; O dote; A princesa dos cajueiros; O liberato; A mascote na roça; O tribofe; Revelação de um segredo; A fantasia; A capital Federal (teatro) 
- Machado de Assis - (1839-1908) - Primeira fase: Ressurreição; A mão e a luva; Helena; Iaiá Garcia (romances); Contos fluminenses; Histórias da meia-noite (contos); Crisálidas; Falenas; Americanas (poesia); Segunda fase: Memórias póstumas de Brás Cubas; Dom Casmurro; Esaú e Jacó (romances); Várias histórias; Páginas recolhidas; Relíquias de Casa Velha (contos); Ocidentais (poesia); Hoje avental, amanhã luva; Desencantos; O caminho da porta; Quase ministro; os deuses de casaca; Uma ode de Anacreonte; Tu, só tu, puro amor; Não consultes médico (teatro). Póstumas: Contos recolhidos; Contos esparsos; Histórias sem data; Contos avulsos; Contos esquecidos; Contos e Crônicas; Crônicas de Lélio; Outras relíquias; Novas relíquias; A semana; Crítica teatral; Crítica literária 
Raul Pompéia - (1863-1895) - O Ateneu; Uma tragédia no Amazonas; Agonia; As jóias da Coroa (romances); microscópicos (contos); Canções sem metro (poesia) 

NATURALISMO 
- Adolfo Caminha - (1867-1897) - A normalista; O bom crioulo; Tentação (romances); Judith; Lágrimas de um crente (contos); Cartas literárias (crítica) 
- Aluisio Azevedo - (1857-1913) - Uma lágrima de mulher; O mulato; Mistérios da Tijuca; Casa de pensão, O cortiço; A mortalha de Alzira; Memórias de um condenado; Filomena Borges; O homem; O coruja; O livro de uma sogra (romances); Demônios (contos); O bom negro (crônicas). 
- Domingos Olímpio (1850-1906) - Luzia-homem 
- Inglês de Sousa - (1853-1918) - O cacaulista; Histórias de um pescador; O coronel sangrado; O missionário (romances); Cenas da vida Amazônica (contos) 
- Júlio Ribeiro - (1845-1890) - A carne; Padre Belchior de Pontes 
- Manuel de Oliveira Paiva - (1861-1892) - Dona Guidinha do Poço; A afilhada 

PARNASIANISMO 
- Alberto de Oliveira (1857-1937) - Canções românticas; Meridionais; Sonetos e poemas; Poesias escolhidas; Versos e rimas 
- Francisca Júlia - (1874-1920) - Mármores; Esfinges 
- Olavo Bilac (1865-1918) - Panóplias; Sarças de fogo; Via láctea; poesias infantis; Alma inquieta; Tarde (poesia); Crônicas e novelas (prosa); e tratados de literatura 
- Raimundo Correia (1859-1911) - Primeiros sonhos; Sinfonias; Versos e versões; Aleluia; Poesias 
- Vicente de Carvalho - (1866-1924) - Relicário; Rosa, rosa de amor 

SIMBOLISMO 
- Alphonsus de Guimarães - (1870-1921) - Septenário das dores de Nossa Senhora; Dona mística; Kyriale; Pauvre lyre; Pastoral aos crentes do amor e da morte; Escada de Jacó; Pulves; Câmara ardente; Salmos da noite 
- Cruz e Sousa - (1863-1898) - - Broquéis; Missal; Faróis; Evocação; Últimos sonetos 

PRÉ-MODERNISMO 
- Augusto dos Anjos (1884-1914) - Eu (poesia) 
- Coelho Neto (1864-1934) - A capital federal; O rajá de pendjab; O morto; O paraíso; Tormenta, Esfinge (romances); Rapsódias; Baladilhas; Álbum de Calibã; Vida Mundana; Contos da Vida e da Morte (contos) 
- Euclides da Cunha - (1866-1909) - Os sertões; Contrastes e confrontos; Peru versus bolívia; À margem da história; Canudos - diário de uma expedição (ensaios históricos) 
- Graça Aranha - (1868-1931) - Canaã; A viagem maravilhosa (romances); Malazarte (teatro); A estrela da vida; Espírito moderno; Futurismo (ensaios) 
- Lima Barreto - (1881-1922) - Recordações do escrivão Isaías Caminha; Triste fim de Policarpo Quaresma; Numa e a Ninfa; Vida e morte de M. J. Gonzaga de Sá; Bagatelas; Os Bruzundangas; Clara dos Anjos (romances); Coisas do Reino de Jambom (sátira); Feiras de Mafuás; Vida urbana; Marginália (artigos e crônicas); Diário Íntimo; Cemitério dos vivos (memórias); Impressões de leitura (crítica) 
- Monteiro Lobato (1882-1948) - Urupês; Cidades mortas; Negrinha; O macaco que se fez homem; O presidente negro; Idéias de Jeca Tatu (prosa); Reinações de Narizinho; O paço do Visconde; As caçadas de Pedrinho (literatura infantil) 
- Raul de Leoni - (1895-1926) - Luz mediterrânea (poesia) 

 

<<< Voltar

 

 
 Página Principal

Fale Conosco | Anuncie Aqui | Cadastro | Notícias | Home



 

VestibularWeb - O Site de dicas, notícias e novidades de vestibular pra vc! Desde 07/2000

Topo

.