MENU

 Revisão >> Revisão das principais matérias do Vestibular
Revisão de Biologia
 
Platelmintos

 

PLATELMINTOS

Do grego: helminthes – verme
                
platy – achatado
Características Gerais

Animais de corpo mole e achatado dorsoventralmente, possuem simetria bilateral e cefalização (pela primeira vez, na escala evolutiva);
Triblásticos, acelomados, protostômios e neuromiários;
Primeiro grande filo com ocorrência de uma verdadeira mesoderme embrionária;

HÁBITAT
Vida livre (turbelários)
: água doce, salgada ou meio terrestre úmido;
Ectoparasitas ou endoparasitas (cestódeos e trematódeos);

CLASSIFICAÇÃO
Três classes:
Turbellaria, Trematoda e Cestoda.

TURBELLARIA
A única com representantes de vida livre. Possuem o corpo revestido por epiderme ciliada e apresentam grande capacidade de regeneração.
Ex: planárias (Dugesia trigrina, Planária geoplana).

TREMATODA
São todos parasitas (ecto ou endoparasitas). Possuem o corpo revestido por epiderme com cutícula protetora e ventosas para a fixação no hospedeiro.
Ex: Schistosoma mansoni (causador da esquistossomose)
     Fasciola hepática (parasitas de carneiros, principalmente). 

CESTODA
Todos endoparasitas. Corpo dividido em proglotes e protegido pela epiderme com cutícula. Habitam o tubo digestivo de muitos vertebrados.
Ex:  Taenia solium
       Taenia saginata
       Echinococcus granulosus
       Hymenolepis nana 

ESTRUTURA DE UMA TÊNIA 
Corpo dividido em:
Escólex ou cabeça ( fixação );
Colo ou pescoço ( produção de proglotes );
Estróbilo ou corpo ( formado por anéis ou proglotes );

NÃO HÁ NOS PLATELMINTOS

SISTEMA ESQUELÉTICO
SISTEMA RESPIRATÓRIO
Espécies de vida livre:
aeróbicas, em que as trocas gasosas ocorrem entre a epiderme permeável e o meio ambiente.
Parasitas:
a respiração é anaeróbica. 

SISTEMA CIRCULATÓRIO 
A distribuição de alimentos é feita por difusão, de célula a célula. Nos Cestóides, a distribuição de alimentos ocorre pela passagem de nutrientes através da superfície corporal, uma vez que são desprovidos de sistema digestório. 

HÁ NOS PLATELMINTOS
SISTEMA TEGUMENTAR
Epiderme constituída por epitélio simples, ciliado na face ventral dos turbelários e recoberto por uma cutícula nos trematóides e cestóides. A cutícula nos parasitas tem função protetora contra a ação enzimática do suco digestivo do hospedeiro.

SISTEMA MUSCULAR
A parede do corpo é constituída pela epiderme e pelo tubo músculo-dermático, formado por camadas musculares: circular, longitudinal e dorsoventral ou oblíqua.

SISTEMA DIGESTÓRIO
Tipo incompleto nos turbelários e trematódeos. Nos cestóides o sistema digestório é ausente. A planária é carnívora e apresenta uma faringe protáctil, além de um intestino ramificado.

SISTEMA EXCRETOR
São os primeiros animais na escala zoológica a apresentarem sistema excretor, cuja excretar fundamental é a célula-flama ou solenócitos ou protonefrídeo.

SISTEMA NERVOSO

São os primeiros animais a apresentarem um sistema nervoso centralizado do tipo ganglionar.
Turbelários: ocelos (fotossensibilidade), aurículas (perceber o sentido da corrente líquida) e fossetas (quimiorreceptoras). 

SISTEMA REPRODUTOR

Turbellaria

Monóicos

Fecundação cruzada

Desenvolvimento direto

Não há larvas

Cestoda

Monóicos

Autofecundação

Desenvolvimento indireto

Cisticercos, hidátides

Trematoda

Monóicos ou dióicos

Fecundação cruzada

Desenvolvimento indireto

Miracídio,esporocisto, cercária

· Nas larvas de trematódeos é freqüente a ocorrência de pedogênese;
· 
Nos turbelários é comum a regeneração.

Esquistossomose ou barriga d’água ou bilharziose
Verme causador:
Shistosoma mansoni

Os vermes adultos se instalam no conjunto de vasos que ligam o intestino ao fígado (sistema porta-hepático). No corpo do macho existe um canal, no qual a fêmea se instala permanentemente (canal ginecóforo). Os ovos possuem um espinho lateral que facilita a perfuração da parede do vaso e sua penetração no intestino, de onde sairá juntamente com as fezes. A fêmea pode colocar 400 ovos por dia.
Se as fezes chegam até a água, os ovos rompem-se e liberam uma larva ciliada móvel, o miracídio, que é ativo por cerca de oito horas. Nesse intervalo podem penetrar nas partes moles do caramujo do gênero Biomphalaria, que serve como seu hospedeiro. Cada miracídio sofre inúmeras divisões, chegando a produzir 300 mil novas larvas denominadas cercárias, que são eliminadas cerca de trinta dias após a infecção do caramujo. As cercárias abandonam o molusco e passam a nadar ativamente, podendo viver cerca de três dias em busca de novo hospedeiro, embora sejam mais ativas nas suas primeiras horas de vida. Penetram no homem através da pelo ou das mucosas atingindo as veias ou os vasos linfáticos; caem a seguir na corrente sanguínea e chegam ao coração, daí podem ser envidadas a todo o corpo, embora as que chegam ao sistema porta-hepático se desenvolvem.
Conseqüências:
ação espoliativa, complicações hepáticas e intestinais, diarréias, problemas circulatórios, que por sua vez, acarretam a congestão e o edema das paredes do intestino e do estômago, bem como a perda de parte do plasma para a cavidade abdominal (barriga d’água).

TENÍASE

Infestação por vermes platelmintos da classe cestoda como tênias ou solitárias. Eles têm o corpo longo, achatado, em forma de fita (do grego kestos: fita), segmentado em grande número de anéis ou proglotes. Na verdade o corpo é dividido em cabeça ou escólex, pescoço ou colo e tronco ou estróbilo. Para eliminar o verme tem que tirar a tênia completa.
Os primeiros anéis ou proglotes situados nas extremidades do colo, são mais largos e compridos e se classificam como anéis imaturos. Em seguida, situam-se os anéis maduros. Os anéis da porção terminal são os anéis grávidos cheios de ovos que são liberados com as fezes.
O ciclo evolutivo começa com a autofecundação, esses animais são hermafroditas autógamos. Pode ocorrer a fecundação num mesmo anel ou em anéis diferentes. Os ovos fecundados desenvolvem um embrião dotado de seis ganchos, chamados hexacanto ou oncosfera. Eliminados com os anéis grávidos esses ovos embrionados liberam-se dos proglotes e são arrastados pelas chuvas e pelos ventos para a grama, a água, etc. Assim acabam sendo ingeridos pelos animais que servem de hospedeiro intermediário (porco ou boi). Ocorrendo isso, o embrião se liberta e atravessa a mucosa intestinal, cai na circulação sanguínea e vai se alojar num posto qualquer da musculatura estriada (carne), onde se constitui na larva – cisticerco.
A ingestão pelo homem da carne de porco ou boi malcozida, torna possível a evolução dessa larva para a fase adulta de tênia, o que se processa no intestino delgado. A tênia não possui qualquer rudimento de sistema digestório. Não possui boca nem estômago nem intestino.
Profilaxia: não comer carne malcozida, construção de fossas higiênicas.

 Hospedeiro definitivo: homem
Hospedeiros intermediários: Boi
: Taenea saginata
                                               Porco: Taenea solium
Tênia saginata: possui quatro ventosas
Tênia solium: possui quatro ventosas mais rostro ou rostelum

CISTICERCOSE

 A cisticercose é uma doença grave caracterizada pelo desenvolvimento do cisticerco (larva da tênia) em alguma parte do corpo humano. Considerando que as tênias no seu ciclo evolutivas têm de passar necessariamente pelas fases de ovo (contendo o embrião), larva (cisticerco) e verme adulto, é evidente que o indivíduo da espécie humana só pode contrair a cisticercose se ingerir o ovo embrionado da tênia
O cisticerco nunca evolui para a tênia adulta no mesmo hospedeiro. Portanto, a ingestão acidental de ovos embrionados de tênia pelo homem pode levar apenas ao desenvolvimento da fase larval do parasita. Pode se instalar no pulmão, no globo ocular ou mesmo no cérebro.

HIDATIDOSE

Decorre da evolução anômala do homem da larva de uma minúscula tênia parasita de cães –Tênia equinococo ou Echinococos granulosus. A evolução como larva dessa tênia ocorre em diversos mamíferos ( carneiro, porco, boi,etc. ) que lhe servem de hospedeiro intermediário. Nesses a larva se aloja contra o fígado, se o cão come o fígado adquire a verminose.
Os ovos são eliminados com as fezes do cachorro e como ele faz a sua higiene lambendo o pêlo, se uma pessoa entrar em contato com o cão adquire os ovos e terá hidatidose. Cisto hidático: um enorme cisto, um grande tumor que decorre da evolução da larva do equinococo e pode durar muitos meses ou  anos. O tratamento quando viável, é unicamente cirúrgico. A infestação pela tênia adulta denomina-se equinococose e é uma doença parasitária exclusiva de cães ( raramente de gatos ), mas nunca decorre no homem.

 

<<< Voltar

 

 
 Página Principal

Fale Conosco | Anuncie Aqui | Cadastro | Notícias | Home



 

VestibularWeb - O Site de dicas, notícias e novidades de vestibular pra vc! Desde 07/2000

Topo

.