MENU

 Revisão >> Revisão das principais matérias do Vestibular
Revisão de Literatura
 
A Produção Literária no Brasil

 

A Produção Literária no Brasil - Parte III

Principais autores e Obras 

PRODUÇÕES CONTEMPORÂNEAS 
- Adélia Prado (1936) - Bagagem; O coração disparado; Terra de Santa Cruz (poesia); Cacos para um vitral; Os componentes da banda (prosa) 
- Antônio Callado - (1917) - A madona de cedro; Quarup; Reflexos do baile (prosa) 
- Augusto Boal - (1931) - Revolução na América do Sul (teatro); Jane Spitfire (prosa) 
- Augusto de Campos (1931) - O rei menos o reino; Caleidoscópio; Poemóbiles; Poetamenos; Poesia completa; Ovonovelo; Linguaviagem; Antologia \noigrandes (poesia) 
- Autran Dourado (1926) - A barca dos shomens; Ópera dos mortos; O risco do bordado; Os sinos da agonia; Armas e corações 
- Bernardo Élis - O tronco; Veranico de janeiro (prosa) 
- Caio Fernando de Abreu - (1948) - Morangos mofados; Triângulo das águas (prosa) 
- Carlos Heitor Cony - (1926) - O ventre; Tijolo de segurança; Antes, o verão (prosa) 
- Chico Buarque de Holanda - (1944) - Fazenda Modelo (prosa); Calabar (teatro, em parceria com Ruy Guerra); Gota D’água (teatro, em parceria com Paulo Pontes); Ópera do malandro (teatro) - Dalton Trevisan - (1925) - O vampiro de Curitiba; Desastres do amor; Guerra conjugal; A trombeta do anjo vingador; Lincha tarado; Cemitério de elefantes (contos) 
- Décio Pignatari (1927) - O carrossel; Rumo a Nausicaa; Poesia pois é poesia; O rosto da memória 
- Dias Gomes - (1922) - O pagador de promessas; O rei de Ramos; O santo inquérito; Vargas (teatro); Odorico, o bem amado (prosa) 
- Domingos Pellegrini Jr. (1949) - Os meninos; Paixões; As sete pragas; Os meninos crescem (contos) 
- Eduardo Alves da Costa - (1936) - Poesia viva; Salamargo (poesia); Fátima e o velho; Chongas (prosa) 
- Edla Van Steen - Antes do amanhecer; Cio; Memórias do medo; Corações mordidos (prosa) 
- Esdras do Nascimento (1934) - Solidão em família; Tiro na memória; Engenharia do casamento; Paixão bem temperada; Variante Gotemburgo; Os jogos da madrugada (prosa) 
- Fernando Sabino (1923) - O encontro marcado; O grande mentecapto; O homem nu; Deixa o Alfredo falar!; O gato sou eu (prosa) 
- Geraldo Ferraz (1906-1979) - Doramundo; KM 63 (prosa) 
- Gianfrancesco Guarnieri (1934) - Eles não usam black-tie; Gimba; Arena conta Zumbi e Arena conta Tiradentes (em parceria com Augusto Boal); Marta Saré; Um grito parado no ar; Ponto de partida (teatro) 
- Haroldo de Campos (1929) - Auto do possesso; O âmago do ômega; Servidão de passagem; Xadrez de estrelas; Poemas em noites grandes; Galáxias (poesia) 
- Hilda Hilst (1930) - Balada de Alzira; Ode fragmentária; Sete cantos do poeta para o anjo; Cantares de pedra e predileção (poesia) 
- Ignácio de Loyola Brandão (1937) - Depois do sol; Bebel que a cidade comeu; Pega eles, silêncio; Zero; Cães danados; Cadeiras proibidas; Dentes ao sol; Não verás país nenhum; É gol; Cabeças de 2ª feira; O verde violentou o muro; O beijo não vem da boca (prosa) 
- João Ubaldo Ribeiro (1941) - Sargento Getúlio; Vila Real; Viva o povo brasileiro (prosa) 
- José Cândido de Carvalho - (1914) - O coronel e o lobisomem (romance) 
- José Lino Grünewald (1931) - Um e dois (poesia) 
- José J. Veiga (1915) - A hora dos ruminantes; Os cavalinhos de platiplanto; Sombras de reis barbudos (prosa) 
- José Mauro de Vasconcelos (1920-1984) - Rosinha, minha canoa; Barro blanco; As confissões de Frei Abóbora; O meu pé de laranja-lima; Rua descalça (prosa) 
- José Paulo Paes (1916) - Poemas reunidos; Anatomia da musa (poesia) 
- Josué Montello (1917) - Janelas fechadas; A luz da estrela morta; A décima noite; Os tambores de São Luiz (prosa) 
- Lourenço Diaféria - (1933) - Um gato na terra do tamborim; A morte sem colete (prosa) 
- Luiz Fernando Veríssimo (1936) - Amor brasileiro; Pega pra Capitu; A mesa voadora; Humor de 7 cabeças; Ed Mort; Sexo na cabeça; O analista de Bagé; O gigolô das palavras; A velhinha de Taubaté; O popular; A mãe de Freud; A mulher do Silva (prosa) 
- Luiz Villela - (1943) - Tremor de terra; Tarde da noite (contos) 
- Lia Luft (1938) - As parceiras; A asa esquerda do anjo; Reunião de família; O quarto fechado (prosa); O lado fatal (poesia) 
- Lygia Fagundes Telles - (1923) - Ciranda de pedra; Verão no aquário; O jardim selvagem; As meninas; Seminário dos ratos; A disciplina do amor (prosa) 
- Márcio Souza - (1946) - Galvez, imperador do Acre; Mad Maria; A resistível ascensão de Boto Tucuxi; A condolência (prosa) 
- Marina Colassanti (1937) - Eu sozinha; E por falar de amor; A nova mulher; Mulher daqui pra frente; Zooilógico; A morada do ser; Contos de amor rasgados; Uma idéia toda azul (prosa) 
- Mário Chamie - (1933) - Lavra-lavra; Indústria; Now tomorrow mau; Planoplenário (poesia) 
- Mário Palmério (1916) - Vila dos Confins; Chapadão do Bugre (prosa) 
- Mário Quintana (1906) - Rua dos cataventos; Sapato florido; O aprendiz de feiticeiro; Apontamentos de história sobrenatural; Canções; Caderno H (poesia) 
- Mauro Gama (1938) - Anticorpo; Corpo verbal (poesia) 
- Millôr Fernandes - (1924) - Computa, computador, computa; Trinta anos de mim mesmo; Fábulas fabulosas; Compozissõis infãtis; Que país é este? (prosa) 
- Moacyr Scliar - (1916) - O pirotécnico Zacarias; O convidado (prosa) 
- Nélida Piñon - (1935) - A casa da paixão; Sala de armas; A república dos sonhos (prosa) 
- Oduvaldo Vianna Filho - (1936-1974) - Chapetuba futebol Clube; Corpo a corpo; Rasga coração; Papa Highirte (teatro) 
- Osman Lins - (1924-1978) - Nove novena; O fiel e a pedra; Avalovara; A rainha dos cárceres da Grécia 
- Paulo Leminski - (1944-1989) - Caprichos e relaxos (poesia); Catatau (prosa) 
- Paulo Mendes Campos (1922) - A palavra escrita; O domingo azul do mar; O cego de Ipanema; Trinca de copas; O cronista do morro (prosa) 
- Pedro Nava (1903-1984) - Baú de Ossos; Balão cativo; O círio perfeito (prosa) 
- Plínio Marcos - (1935) - Dois perdidos numa noite suja; Navalha na carne. Abajur lilás (teatro) 
- Renata Pallottini (1931) - A casa; A faca e a pedra; Noite afora (poesia) 
- Ricardo Ramos (1929) - Tempo de espera; Os desertos; Toada para surdos; As fúrias; O sobrevivente (prosa) 
- Ronaldo Azeredo (1937) - Mínimo múltiplo comum (poesia) 
- Rubem Braga - (1913) - O homem rouco; Ai de ti, Copacabana! (prosa) 
- Rubem Fonseca (1925) - A coleira do cão; Lúcia McCartney; Feliz ano novo; O caso Morel; O cobrador; A grande arte; Os prisioneiros; Bufo e Spallanzani (prosa) 
- Samuel Rawett - (1929-1984) - Contos do imigrante; Os sete sonhos; O terreno de uma polegada quadrada (prosa) 
- Stanislaw Ponte Preta (Sérgio Porto, 1923-1968) - Tia Zulmira e eu; Primo Altamirando e elas; Rosamundo e os outros; Febeapá - Festival de Besteiras que assola o país (2 volumes); As cariocas (prosa) 
- Thiago de Mello (1926) - Narciso cego; Vento geral; Faz escuro mas eu canto porque a manhã vai chegar (poesia). 

Principais datas da literatura brasileira 

ANO FATO CONSEQÜÊNCIA
1500 Carta de Pero Vaz de Caminha Primeira manifestação da literatura informativa
1549 Cartas do jesuíta Manoel da Nóbrega Primeira manifestação da literatura dos jesuítas
1601 Bento Teixeira publica camoniana, "Prosopopéia". Introdução do Brasil na poesia
1633 Estréia do Padre Antônio Vieira nos púlpitos da Bahia
1705 Publicação de "Música do Parnaso" de Manoel Botelho de Oliveira Primeiro livro impresso de autor nascido no Brasil.
1768 Fundação da Arcádia Ultramarina, em Vila Rica, Minas Gerais. Publicação das "Obras", de Cláudio Manuel da Costa Início do Arcadismo
1808 Chegada da Família Real ao Rio de Janeiro Início do período de transição
1836 Lançamento da Revista"Niterói", em Paris. Publicação do livro "Suspiros Poéticos e Saudades", de Gonçalves de Magalhães Início do Romantismo
1843 Gonçalves Dias escreve, em Coimbra, a Canção do exílio
1857 José de Alencar publica o romance indianista "O Guarani"
1868 Castro Alves escreve, em São Paulo, suas principais poesias sociais, entre elas: "Estrofes do solitário", "Navio negreiro", "Vozes d'África"
1870 Tobias Barreto lidera movimento de realistas Primeiras manifestações na Escola de Recife
1881 Publicação de "O mulato", de Aluízio de Azevedo Primeiro romance naturalista do Brasil
1881 Publicação de Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis Primeiro romance realista do Brasil e início do Realismo
1893 Publicação de Missal (prosa) e Broquéis (poesia), de Cruz e Souza Início do Simbolismo
1902 Publicação de "Os Sertões", de Euclides da Cunha Início do Pré-Modernismo
1917 Menotti del Picchia publica "Juca Mulato"; Manuel Bandeira publica "Cinzas das horas"; Mário de Andrade publica "Há uma gota de sangue em cada poema"; Anita Malfatti faz sua primeira exposição de pinturas; Monteiro Lobato critica a pintora e os jovens que a defendem são os mesmos que, posteriormente, participariam da Semana de Arte Moderna
1922 Realização da Semana de Arte Moderna, com três espetáculos no Teatro Municipal de São Paulo em 13, 15 e 17 de fevereiro. Mário de Andrade recebe intensa vaia ao declamar poesias de seu livro "Paulicéia desvairada"
1930 Publicação de "Alguma Poesia", de Carlos Drummond de Andrade Segunda geração do Modernismo
1945 A Geração de 45 Terceira geração do Modernismo

 

 

<<< Voltar

 

 
 Página Principal

Fale Conosco | Anuncie Aqui | Cadastro | Notícias | Home



 

VestibularWeb - O Site de dicas, notícias e novidades de vestibular pra vc! Desde 07/2000

Topo

.