MENU

 Revisão >> Revisão das principais matérias do Vestibular
Revisão de Português
 
Sintaxe - Parte II

 

Sintaxe - Parte II

Termos da Oração
ADJUNTO ADVERBIAL

É o termo de valor adverbial que indica circunstância do fato expresso pelo verbo, intensifica o sentido do verbo, do adjetivo ou do advérbio:

Todos virão de Recife.
Ele come bastante..
Morfologicamente, o adjunto adverbial pode vir representado por advérbio ou por expressão adverbial formada de preposição + substantivo (locução adverbial): Este menino fala pouco.
Às vezes comemos doces.

Classificação do Adjunto Adverbial
O adjunto adverbial é classificado de acordo com a circunstância que expressa, que pode ser:

1. de afirmação:
Certamente faremos o planejado.

2. de assunto:
Falaram sobre futebol.

3. de causa:
Eu estava morrendo de saudade.

4. de companhia:
Ela saiu com meus amigos.

5. de concessão:
Acredito em todos eles apesar das acusações.

6. de conformidade:
Conforme a mensagem, chegará uma nova vida.

7. de dúvida:
Talvez vou viajar.

8. de exclusão:
Os homens correram para a vitória, exceto o meu primo.

9. de fim:
Ele vive para a esposa

10. de instrumento:
Feriu-se coma faca.

11. de intensidade:
Ficaram muito felizes!

12. de lugar:
Eu assisto em Goiânia.

13. de matéria:
Tenho um vaso de porcelana.

14. de meio:
O melhor é irmos de trem.

15. de modo:
Ele fala manso.

16. negação:
Não conheço Uberaba.

17. oposição:
Lute contra ganância.

18. de origem:
Meu pai veio de família rica.

19. preço:
A blusa custou dez reais.

20. de tempo:
Eles conversaram pela manhã.

APOSTO
É o termo de base substantiva que se refere a um substantivo ou pronome esclarecendo, seu sentido.
O aposto pode indicar explicação, especificação, enumeração ou resumo. Pode ser então:

  1. explicativo:
    Aquele é João, meu irmão.
  2. especificativo:
    A cidade de Anápolis é agradável.

VOCATIVO

Vocativo é a palavra ou expressão usada quando nos dirigimos a um ou mais seres:
Paulo, venha cá.
Observações:

  1. O vocativo não pertence à estrutura da oração, não exercendo nenhuma função sintática; é estudado entre os termos da oração por motivo puramente didático.
  2. Por ser palavra ou expressão de entonação exclamativa, é sempre separado do resto da oração por pausa gráfica (vírgula, ponto exclamativo ou travessão):
    Crianças! Venham lanchar.
  3. O vocativo vem, muitas vezes, acompanhado pela preposição "ó": Escuta, ó Deus, as nossas preces.

O PERÍODO COMPOSTO

COORDENAÇÃO
As orações coordenadas dividem-se em:
I. assindéticas - as que não estão ligadas por conjunção:
O professor falava, os alunos ouviam.

II. sindéticas - as que são introduzidas por conjunções coordenativas; podem ser:

  1. aditivas - apresentam soma de idéias:
    Ele fala e dança.
  2. adversativas - apresentam oposição de idéias:
    O jovem está contente mas não tem nenhum motivo especial
  3. alternativas - apresentam alternância ou exclusão de idéias:
    Ele estuda ou ele trabalha?
  4. conclusivas - apresentam conclusão de um raciocínio:
    Ele é bondoso, logo todos o estimam.
  5. explicativas - apresentam justificativa à idéia anterior:

Ele vencerá na vida, pois é um lutador.

 

SUBORDINAÇÃO

As orações subordinadas dividem-se em:

  1. principais - as que guardam o sentido principal do período:

Maria não disse se viria hoje.

II. subordinadas - as que representam termos da principal; podem ser:

  1. substantivas - são as que têm valor de substantivo (são introduzidas por conjunções

subordinativas integrantes); classificam-se conforme a função que exercem:

  1. subjetiva - exerce a função de sujeito: Parece que ele saiu.
  2. predicativa - exerce a função de predicativo: O melhor seria que ele estudasse.
  3. objetiva direta - exerce a função de objeto direto: Desejo que sejas feliz.
  4. objetiva indireta - exerce a função de objeto indireto: Insisto em que digam a verdade.
  5. completiva nominal - exerce a função de complemento nominal: Ele tem certeza de que o amamos.
  6. apositiva - exerce a função de aposto: Peço-lhe um favor: que não nos abandone.
  1. adjetivas - as que têm valor de adjetivo e exercem a função de adjunto adnominal (são introduzidas por pronomes relativos); podem ser:
  1. restritiva - são as que individualizam a idéia expressa pela principal:  Chame o menino que chegou.
  2. explicativa - a que acrescenta algo à idéia expressa pela principal:

Visitei meus tios, que vieram de Roma.

  1. adverbiais - são as que têm valor de advérbio e exercem a função de adjunto adverbial e exercem a função de adjunto adverbial (são introduzidas por conjunções subordinativas adverbiais); podem ser:
  1. causal - indica causa:
    Eles não foram ao clube porque estavam cansados.
  2. comparativa - indica comparação:
    Ele é tão inteligente quanto vocês são.
  3. concessiva - indica concessão:
    Trabalhamos até tarde, embora fosse feriado.
  4. condicional - indica condição:
    Se ele pudesse, compraria este carro.
  5. conformativa - indica conformidade ou modo:
    José nos ajudou, conforme prometera.
  6. consecutiva - indica conseqüência:
    Ele é tão generoso que nos comove.
  7. final - indica finalidade:
    Não fizemos barulho, a fim de não acordá-los.
  8. proporcional - indica proporção:
    À proporção que anoitecia, o frio aumentava.
  9. temporal - indica tempo: Falarei com você quando voltar.

ORAÇÕES REDUZIDAS



Orações Reduzidas são aquelas que se apresentam em uma das seguintes formas nominais: infinitivo pessoal, gerúndio ou particípio.
Para classificar uma oração reduzida, devemos desenvolvê-la, isto é, devemos colocá-la em uma das formas verbais. Ex.:
É preciso começarmos o trabalho = É preciso que comecemos o trabalho

  1. Reduzidas de Infinitivo
  1. Substantivas
  1. subjetiva:  É bom seres breve (= que sejas breve).
  2. predicativa: O mais certo seria pensarem no futuro (= que pensassem no futuro).
  3. objetiva direta: Ouvimos chegarem os convidados (= que chegavam os convidados).
  4. objetiva indireta: Tudo dependia de termos fé (= de que tivéssemos fé).
  5. completiva nominal: Alguém deu ordem para vires aqui (= para que viesses aqui).
  6. apositiva: Algo nos assustou: terem as crianças gritado (= que as crianças tivessem gritado).
  1. Adjetivas
  1. restritiva:

Ele foi o primeiro a sair (= que saiu).

  1. explicativa: Aquele é o meu primo Pedro, a correr na praia (= que corre na praia).
  1. Adverbiais
  1. causal:  Ela chorou por ter lembrado o passado (= porque lembrou o passado).
  2. concessiva: Apesar de estar cansado, ele saiu (= embora estivesse cansado).
  3. condicional: Talvez eles o ajudem, se você pedir (= caso você peça).
  4. consecutiva: A mãe preocupou-se tanto, a ponto de adoecer (= que adoeceu).
  5. final: Saíram para comprar sorvetes (= a fim de comprar sorvetes).
  6. temporal: Ele sorriu, depois de cumprimentar a moça (= depois que cumprimentou a moça).

II. Reduzidas de Gerúndio

  1. Adjetivas
  1. restritiva:  Vi meninos soltando pipas (= que soltavam pipas).
  2. explicativa: Encontrei ontem teu irmão, estudando na biblioteca (= que estudava na biblioteca).
  1. Adverbiais
  1. causal Não tendo amigos, sentia-se só (= porque não tinha amigos).
  2. concessiva Mesmo fazendo tantas coisas, ela tem tempo para se divertir (= mesmo que faça).
  3. condicional: Você se arrependerá, agindo assim (= caso haja assim).
  4. temporal: Voltando do clube, escreveu algumas cartas (= quando voltou do clube).

III. Reduzidas de Particípio

1. Adjetivas

  1. restritiva: Recebemos um lindo presente, dado com carinho(= que foi dado com carinho).
  2. explicativa: Espantaram-se com a menina, caída sobre a grama (= que caíra sobre a grama).
  1. Adverbiais
  1. causal Magoado com o amigo, ele não mais o procurou (= porque se magoara com o amigo).
  2. concessiva Resolvido embora o assunto, devemos conversar (= embora se resolva o assunto).
  3. condicional: Retirado o incentivo, que farão? (= caso seja retirado o incentivo).
  4. temporal: Terminado o trabalho, fomos descansar (= quando terminamos o trabalho).
Concordância Nominal
Concordância é um fenômeno lingüístico, no qual se percebe que certos grupos de palavras apresentam as mesmas flexões em função da dependência de uma palavra à outra.

I. O adjetivo
Como regra geral o adjetivo concorda com o substantivo em gênero e número: menino educado - menina educada
meninos educados - meninas educadas

Casos Especiais
  1. o adjetivo, após dois ou mais substantivos, pode concordar com o mais próximo (quando se refere só a ele) ou ir para o plural (quando se refere a todos):

Escolhi um cravo e uma rosa branca.
Escolhi um cravo e uma rosa brancos.

Observações:

  1. quando se refere a substantivos de gêneros diferentes, o adjetivo vai para o masculino plural: Gosto de mamão e pêra maduros.

b) quando se refere a substantivos sinônimos ou que se apresentam em gradação, concorda com o mais próximo: Apreciamos o orgulho e a altivez feminina.
Um olhar, um gesto, um suspiro lento comoveu-o.

2. o adjetivo, colocado antes de dois ou mais substantivos, pode concordar com mais próximo ou ir para o plural (se os substantivos forem nomes próprio ou títulos): Ruidosas alunas e alunos correm pelo pátio.

Os bondosos Pedro e Maria chegaram.
Estes são os famosos presidente da Argentina e primeiro-ministro da Inglaterra.

3. dois ou mais adjetivos ficam no singular quando se referem a partes de um substantivo plural: É um estudioso das línguas francesa, russa e grega.

  1. os adjetivos que substituem advérbios ficam invariáveis:
    Ela escreve correto (corretamente).
  2. o adjetivo, com função de predicativo (do sujeito ou do objeto), concorda em gênero e número com o substantivo a que se refere:
    José e sua sobrinha viajaram juntos.
    Encontrei as meninas preocupadas.

    Observação: Se o predicativo estiver precedendo dois ou mais núcleos do objeto, pode concordar com o mais próximo:
    Encontrei preocupada a menina e o menino.
  3. o adjetivo, com função de predicativo, fica no masculino se o sujeito do verbo "ser" não estiver determinado; estando o sujeito determinado concorda com ele: Caça é proibido aqui.

A caça é proibida aqui.

II. Casos Particulares

1. Obrigado, Mesmo e Próprio
Concordam em gênero e número com o nome a que se referem:
Muito obrigada, disse a menina.
Eles mesmos fizeram o trabalho.
As alunas afirmam que elas próprias resolverão esse assunto.

2. Anexo e Incluso são adjetivos e, portanto, variáveis:
Enviaremos, anexas (inclusas) as contas.
Observação - Em Anexo é locução adverbial, por isso é invariável:
As contas foram enviadas em anexo.

3. MEIO
A palavra pode ser empregada como:
a) numeral - é sinônimo de "metade" e é variável, concordando com o substantivo a que se refere: Ela comeu meia manga.
b) advérbio - é sinônimo de "um pouco e é invariável: Maria está meio distraída.

4. Muito, Pouco e Bastante

Também estas palavras podem ser empregadas de duas maneiras:

  1. quando advérbios relacionam-se com o adjetivo ou o verbo e são invariáveis:  Ela é muito/pouco/bastante estudiosa.
    Ela estudou muito/pouco/bastante.
  2. quando pronomes relacionam-se com o substantivo e concordam com ele em gênero e número: Ele tem muitos/poucos/bastantes livros.

5. Quite
Concorda em número com o substantivo a que se refere:
Eu estou quite contigo.
Eles estão quites com o clube.

  1. Salvo

a) quando sinônimo de "livre" é variável por ser adjetivo: As atletas estão salvas.

b) quando sinônimo de "exceto" é invariável por ser preposição: Choveu a semana toda, salvo quarta-feira.

8. LESO

Significa ferido, violado e concorda em gênero e número com o substantivo a que se refere:  Crime de lesa-pátria.
Atitude lesa-justiça.

9.

  1. quando sinônimo se "sozinho" é adjetivo, é variável:  As crianças ficaram sós.
  2. quando sinônimo de "somente" é advérbio, é invariável:

As crianças estão brincando.

Observação: a expressão A Sós é invariável por ser locução adverbial: Ela nunca consegue ficar a sós.

10. Menos
É invariável, uma vez que é advérbio:
Ela estava meio distraída.

11. Alerta

É advérbio e, portanto, invariável: iquem todos alerta.

12. Pseudo
É invariável, por ser prefixo: Ele é uma pseudo-verdade.

13. Haja Vista
É expressão invariável que equivale a "tendo em vista":
Haja vista os motivos dados por ele, concordaremos com isso.

14. A Olhos Vistos
É expressão invariável que equivale a "visivelmente": Ele emagrecia a olhos vistos.

15. POSSÍVEL

Quando faz parte das expressões superlativas o(a) mais, o(a) menos, o(a) maior, o(a) menor,
o(a) melhor, o(a) pior , a palavra possível concorda com o artigo:
Todos estavam o mais atentos possível./ Eram os quadros mais belos possíveis.
Esse foi o melhor dos presentes possível./ Comprei as melhores pêras possíveis.

16. UM E OUTRO, NEM UM NEM OUTRO
O substantivo fica sempre no singular; o adjetivo, se estiver presente, deverá ficar no plural.
Refiro-me a uma e outra mulher americanas.
Não comprei nem uma nem outra obra recomendadas.

Apêndice
Concordância Verbal

Na concordância verbal, o verbo é o termo que deverá apresentar as flexões em relação ao sujeito. Assim, podemos dizer que o verbo se subordina ao sujeito, pois é ele o termo determinante das flexões do verbo.

REGRA GERAL
O verbo concorda com o sujeito em número e pessoa:
Tu conheces Pedro?
Nós estamos muito felizes.

CASOS ESPECIAIS

SUJEITO SIMPLES

O sujeito é o pronome relativo QUEM - o verbo concorda com o antecedente ou ca na 3ª pessoa do singular: És tu quem serás premiado.
És tu quem será premiado.

O sujeito é o pronome relativo QUE - o verbo concorda com o antecedente: Fomos nós que fizemos a pesquisa.

O sujeito é o pronome relativo QUE precedido de UM DOS - o verbo fica no singular ou no plural: Ela é uma das que mais estuda (ou estudam).

O sujeito é um pronome indefinido no plural seguido por DE (ou DENTRE) NÓS (ou VÓS) - o verbo concorda com o pronome pessoal ou vai para a 3ª pessoa do plural:
Apenas algumas dentre nós conhecemos ( ou conhecem) a verdade.
Muitos de vós recebereis (ou receberão) elogios.

O sujeito é um pronome interrogativo no plural seguido por DE (ou DENTRE) NÓS (ou VÓS) - como no caso anterior, o verbo concorda com o pronome pessoal ou vai para a 3ª pessoa do plural:
Quais de vós sois (ou são) culpados?
Não sei quantos dentre nós continuaremos (ou continuarão) aqui.

O sujeito é CADA UM seguido por palavra no plural - o verbo fica na 3ª pessoa do singular:
Cada um dos alunos receberá um diploma.

O sujeito é NENHUM seguido por palavra no plural - o verbo fica na 3ª pessoa do singular:
Nenhuma das meninas trouxe o trabalho?

O sujeito é um coletivo - a concordância é feita de três maneiras:

  1. o verbo fica na 3ª pessoa do singular se o sujeito coletivo estiver junto do sujeito:  Uma banda tocava para nós.
  2. o verbo fica na 3ª pessoa do singular ou do plural se o sujeito coletivo não estiver junto do sujeito:

A banda tocou por muito tempo; eram dez horas quando retirou-se (ou retiraram-se).

  1. o verbo fica na 3ª pessoa do singular ou do plural se o sujeito coletivo estiver acompanhado de palavra no plural:

Uma banda de meninas alegrou (ou alegraram) a festa.

O sujeito é uma expressão de tratamento - o verbo fica na 3ª pessoa do singular:
Vossa Excelência tem razão.

O sujeito é plural aparente(plural na forma e singular no sentido) - o verbo fica na 3ª pessoa do singular:
Dois é um numeral ordinal.

O sujeito é plural não determinado ou é precedido de artigo no singular:
Ilhéus é uma cidade da Bahia.
O Corínthians é um time de São Paulo.

O sujeito é uma expressão partitiva seguida de palavra no plural - o verbo vai para a 3ª pessoa do plural:
O sujeito é indeterminado - a concordância é feita de duas maneiras:

  1. o verbo fica na 3ª pessoa do singular se a indeterminação é indicada pelo pronome SE: Precisa-se de uma secretária.
  2. o verbo vai para a 3ª pessoa do plural se a indeterminação não é indicada pelo pronome SE: Tocaram a campainha.

Voz passiva sintética - o verbo concorda com o sujeito, que será sempre expresso: Procura-se casa.
Procuram-se casas.

O sujeito é precedido pelas expressões MAIS DE, MENOS DE - o verbo concorda com a palavra que acompanha a expressão:
Mais de uma aluna chegou atrasada.
Menos de dois alunos chegaram atrasados.

O sujeito é representado por número percentual - a concordância é feita de três maneiras:
a) o verbo concorda com a palavra que acompanha o número:
Dez por cento da safra ficou no depósito.

b) o verbo concorda com o número quando ele está posposto:
Ficaram no depósito dez por cento da safra.
Dez por cento dos livros foram vendidos.

c) o verbo vai para o plural se o número estiver determinado por artigo ou pronome:
Os dez por cento da safra foram vendidos.
Estes dez por cento da safra foram vendidos.

II. SUJEITO COMPOSTO
O sujeito está posposto ao verbo - o verbo concorda com o sujeito mais próximo ou vai para a 3ª pessoa do plural:
Partiram (ou partiu) Pedro e Paulo.

O sujeito é formado por pessoas gramaticais diferentes - o verbo vai para o plural, respeitando-se a prioridade que a 1ª pessoa tem sobre a 2ª e a 2ª pessoa tem sobre a 3ª:
Tu e eu estamos felizes.
Tu e ele sois bondosos.

Observação - quando o sujeito é formado por 2ª e 3ª pessoas, é considerado correto colocar o verbo na 3ª pessoa do plural, pois o sujeito equivale a "vocês":
Tu e ele são bondosos.

O sujeito tem elementos ligados pela conjunção "ou" - a concordância é feita de duas maneiras:

  1. o verbo concorda com o sujeito mais próximo quando existe idéia de exclusão:  João ou Pedro casará com você.
  2. o verbo vai para o plural quando existe idéia de adição ou alternância: Filhotes de cães ou de gatos são lindos.

Quadros ou livros serão distribuídos aos alunos.

O sujeito tem elemento ligados pela conjunção "nem" - o verbo fica no singular, concordando com o sujeito mais próximo; ou vai para o plural, respeitando-se a prioridade da 1ª pessoa sobre a 2ª e da 2ª pessoa sobre a 3ª:
Nem ele nem ela sabe a resposta.
Nem eu nem ele
conhecemos a verdade.
Nem tu nem ele ireis à festa.
Nem ele nem ela serão premiados.

Observação - como no caso anterior, quando o sujeito é formado por 2ª e 3ª pessoas, equivalendo a "vocês", pode-se colocar o verbo na 3ª pessoa do plural:
Nem tu nem ele irão à festa.

O sujeito tem elementos ligados pela preposição "com" - a concordância é feita de duas maneiras:

  1. o verbo fica no singular quando se quer enfatizar o primeiro sujeito: Marta com sua irmã veio de Minas.
  2. o verbo vai para o plural quando a preposição tem o valor da preposição "e": Marta com sua irmã vieram de Minas.

O verbo indica reciprocidade de ação - vai para o plural:Os irmãos abraçaram-se com carinho.

O sujeito é uma das expressões "um e outro", "nem um nem outro" - o verbo fica no singular ou no plural:
Um e outro chegou (ou chegaram) agora.
Nem uma nem outra aluna disse (ou disseram) nada.

Os sujeitos estão ligados por uma das expressões comparativas "como", "assim como", "bem como", "do mesmo modo que" - o verbo concorda com o primeiro sujeito:
Teu primo, como todos nós, deseja a tua felicidade.
Ela, do mesmo modo que Pedro, veio do sul.

Há, junto do sujeito composto, a palavra "exceto" ou a palavra "menos" - o verbo concorda com o primeiro sujeito: Toda a turma, exceto José, foi à excursão.
Todos os alunos, menos José, foram à excursão.

O pronome indefinido "cada" precede os núcleos dos sujeitos - o verbo fica no singular: Cada flor, cada fruto receberá o calor do sol.

O sujeito tem seus elementos resumidos por um pronome indefinido - o verbo fica no singular: Pedro, Paulo, José, ninguém chegou ainda.

O sujeito composto é ligado por conectivos correlatos - o verbo vai para o plural: Não só ele, mas também seu irmão são dentistas.
Tanto Pedro como Paulo foram aprovados.

O sujeito é formado por núcleos sinônimos - o verbo fica no singular:
Feliz e ditoso é este homem.

O sujeito possui elementos em gradação (progressão ascendente ou descendente) - o verbo concorda com o elemento mais próximo:
Um dia, uma semana, um mês havia passado.

O sujeito é formado por infinitivos - o verbo fica no singular:
Cantar e dançar alegra a vida.

Observação - quando os infinitivos estão determinados ou são antônimos, o verbo vai para o plural:
O cantar e o dançar alegram a vida.
Ir e vir fazem da parte da nossa rotina.

III. CONCORDÂNCIA ESPECIAL DE ALGUNS VERBOS
I. VERBO SER

  1. o sujeito e o predicativo têm número diferente - a concordância é feita de duas maneiras:
  1. o verbo concorda com o termo que está no plural: Tudo são flores.
    Vocês são o futuro.
  2. o verbo fica no singular se o sujeito é pessoa:Pedro é as esperanças da família.
  1. o sujeito ou o predicativo é pronome pessoal - o verbo concorda com o pronome: Tuas alegrias somos nós.
  2. o sujeito e o predicativo são pronomes pessoais - o verbo concorda com o sujeito: Tu não és ela.
  3. a oração inicia com um dos pronomes interrogativos "quem" ou "que" - o verbo concorda com o sujeito (que é o pronome) e o interrogativo será predicativo: Quem és tu?
    Que são eles?
  4. o sujeito é um dos pronomes neutros "tudo", "isto", "isso", "aquilo" - o verbo com o predicativo: Isso são só promessas.
  5. o sujeito é uma expressão de sentido coletivo - o verbo concorda com o predicativo:
    A maior parte são objetos sem valor.
    O resto são conjecturas.
  6. o sujeito indica preço, medida, peso ou quantidade - o verbo fica no singular:
    Vinte reais é bastante?
    Dois metros será o bastante.
    Quatro quilos é muito.
    Seis anos não é tempo demais?
  7. o verbo é impessoal - a concordância é feita de três maneiras:
  1. fica no singular quando indica fenômeno meteorológico: É cedo.
  2. concorda com o predicativo quando indica datas: É primeiro de junho.
    São dois de setembro.

    Observação - quando existe a palavra "dia", o verbo fica sempre no singular: Hoje é dia dois de setembro.

  3. concorda com o predicativo quando indica horas:É uma hora

São duas horas.

  1. VERBOS SOAR, BATER e DAR
    Quando indicam horas, esses três verbos (e seus sinônimos) concordam com o número de horas:
    As seis horas soaram.
    Bateu uma hora.
    Deram quatro horas.

    Observação - quando existe sujeito (o relógio, o sino, etc.), o verbo concorda com ele: O relógio deu quatro horas.
    O sino bateu nove horas.

  2. VERBO HAVER
  1. é pessoal:
  1. quando significa "ter", "obter" ou "entender-se":
    Embora ele houvesse muitos amigos, vivia só.
    O pai desconhecia onde ele houvera tanto dinheiro.
    Ele vai se haver conosco.
  2. quando é auxiliar em tempos compostos:

Havemos de vencer.

  1. é impessoal:
  1. quando é empregado com o sentido de existir: Havia crianças no jardim.

    Observação - o verbo "existir" não é impessoal: Existiam crianças no jardim.

  2. quando é empregado com o sentido de "acontecer": Espero que não haja nenhum desentendimento.

Atenção - quando é impessoal, o verbo "haver", sendo parte de uma locução, transmite sua impessoalidade ao verbo auxiliar: Deve haver meninos na escola.

  1. VERBO FAZER

É verbo impessoal em dois casos:

  1. quando se refere a fenômenos meteorológicos: Fez um lindo dia.
  2. quando indica tempo decorrido: faz dois anos que moro aqui.

Atenção - quando é impessoal, o verbo "fazer", sendo parte de uma locução, transmite sua impessoalidade ao verbo auxiliar: Vai fazer quatro meses que compramos o carro.

  1. VERBO PARECER
  1. quando é seguido de verbo no infinitivo, flexiona-se um ou outro:

    As crianças pareciam brincar.
    As crianças parecia brincarem.

  2. quando é seguido de verbo no infinitivo pronominal, fica sempre na 3ª pessoa do singular

(porém flexiona-se o verbo pronominal):
Os alunos parece queixarem-se.
Eu e Pedro parecia entendermo-nos.

 

<<< Voltar

 

 
 Página Principal

Fale Conosco | Anuncie Aqui | Cadastro | Notícias | Home



 

VestibularWeb - O Site de vestibular com testes, notícias e novidades pra vc! Desde 07/2000

Topo

.